Discurso feito em 31/8/16

Senhor presidente, senhoras deputadas, senhores deputados, funcionários desta Casa, telespectadores da TV Assembleia, hoje a minha felicidade foi falar com o deputado Carlão Pignatari e, depois, a cassação e a retirada de Dilma Rousseff da Presidência.

Foi um parto; demorou quase seis meses. O País está parado, mas como agora não é mais presidente, a cobrança será em cima de Michel Temer. Ele não pode falar em aumento de impostos se o País está quebrado e aumento de salário para uma categoria que é a mais privilegiada no Brasil. O PSDB é a favor do Brasil, da Nação, não de categoria ‘a’ ou ‘b’. Como presidente do partido em São Paulo, sou a favor do Brasil, vamos dar todo apoio ao presidente Michel Temer, mas na condição de não aumentar o imposto para “dona Maria” porque é sempre o mais pobre quem paga imposto neste País.

Esse projeto de aumento para o Judiciário é inaceitável. Se aprovarem esse projeto eu, como presidente do partido em São Paulo, serei o primeiro a defender a saída da base de sustentação do governo porque hoje precisamos ajudar a “dona Maria”, como o Hospital Amaral Carvalho, referência no tratamento de câncer. Para o hospital não tem dinheiro, mas tem para uma categoria que já é bem privilegiada. Todos precisam dar sua cota de sacrifício, só que no Brasil o sacrificado sempre é o pobre. Os que ganham bem, sempre têm vantagens.

Como cidadão, como deputado e presidente estadual do PSDB não posso aceitar a aprovação desse pacote de medidas que aumenta gastos do governo em benefício de uma categoria já privilegiada. Daqui a pouco, vem o ministro Henrique Meirelles dizer que é preciso aumentar imposto.

Michel Temer agora é presidente de fato e como tal precisa tomar medidas para a retomada do crescimento do País. Não tem sentido aumentar o salário dos ministros do Supremo. Dia desses saiu na ‘Folha’ ou no ‘Estadão’, não me recordo, que nenhum desembargador ganha menos de 80, 100 mil reais em São Paulo. E vão aumentar mais?! Somos contra. O Hospital Amaral Carvalho não tem condições de trabalhar porque está quebrado.

A tabela SUS é muito baixa. Não tem dinheiro para atender justamente quem mais precisa, mas tem dinheiro para dar aumento a uma categoria que já recebe muito bem. Se dia 8 aprovarem esse projeto eu irei pedir para o partido sair do governo. Não é correto passar uma imagem e depois mostrar outra, fingir para continuar a fazer o mesmo que vem acontecendo anos e anos. O sacrifício deve ser para todos para tirar o País do caos em que Dilma e o PT deixaram. O presidente Michel Temer precisa assumir o seu papel da mesma forma o Congresso Nacional.

O saudoso governador Mário Covas dizia que existiam dois tipos de político: o de “P” maiúsculo, que pensa na próxima geração e o de “p” minúsculo que pensa na próxima eleição. Espero que o partido em Brasília não aprove esse pacote de bondade para quem já é privilegiado e para os menos favorecidos ninguém olha. O governo de Dilma ajudou muito o empresário poderoso e o pequeno empresário ficou relegado ao segundo plano. Hoje temos 12 milhões de desempregados no Brasil. Precisamos pensar nisso como partido, como político. Doze milhões de pessoas estão jogadas nas ruas.

Espero que Michel Temer seja iluminado. Se ele for fazer a mesma política de Dilma Rousseff e do PT, vamos ser contra. O sacrifício deve ser para todo mundo, não só para pobre. Grande abraço. Muito obrigado.Online Generator Little alchemist Gems

Be Sociable, Share!

Deixe um Comentário



Assine o blog

Assine RSS

O que é RSS?

Receba por e-mail

Delivered by FeedBurner

Assuntos

Tags

Links